QUASE. Em noite de Giba e Paulo Renê, CAP esteve perto de quebrar tabu e vencer o Cruzeiro

 O resultado pouco mudou a situação do Patrocinense no campeonato. Segue em terceiro lugar na classificação, agora com 8 pontos

Foto: Eder Terere

PatrocinensexCruzeiro2

A disputa foi acirrada com os dois times se respeitando muito 


Da redação da Rede Hoje


Este domingo, 16 de fevereiro, parecia que o Clube Atlético Patrocinense conseguiria bater o Cruzeiro, pela primeira vez, no Campeonato Mineiro. Mas, ficou no quase. Depois de fazer 1 x 0 no primeiro tempo, cedeu o empate no último minuto do jogo que valeu pela 6ª rodada da fase de classificação e foi disputado no Estádio Pedro Alves Nascimento, em Patrocínio.

 

O resultado pouco mudou a situação do Patrocinense no campeonato. Segue em terceiro lugar na classificação, agora com 8 pontos. Já o Cruzeiro chegou aos 11 e se manteve invicto no estadual. O próximo jogo do Patrocinense será dia 1º de março, quando a equipe visita a Caldense que venceu o Atlético Mineiro neste domingo pro 2 x 1. Já o Cruzeiro, recebe o Uberlândia no "Mineirão".

 

O jogo. O jogo começou equilibrado. O CAP fez a melhor partida até aqui no campeonato. Teve pelo menos três chances no jogo e um penalti não marcado. O Cruzeiro repetiu os mesmos erros apresentados contra o São Raimundo/RR no jogo do meio de semana na Copa do Brasil, com o agravante de ter piorado o desempenho do setor de criação, que pouco conseguiu fez para ajudar os atacantes.

 

A equipe azul não tinha forças para superar a marcação do Patrocinense, que explorava os contra-ataques e assustava mais do que o Cruzeiro. No último lance do primeiro tempo o gol grená.

 

Com ótima atuação de Giba e muito boa de Paulo Renê, o time grená quase conseguiu a vitória. Poderia ter matado o jogo ainda na primeira etapa. Aos 46 minutos da primeira etapa, Giba foi à linha de fundo, cruzou na medida para Paulo Renê, que se antecipou ao zagueiro Léo e balançou as redes de Fábio: 1 a 0. Resultado que seria excelente para o CAP e trágico e terrível, proporcionando quebras de importantes tabus para o Cruzeiro. Dentre esses o de que o Patrocinense venceria o Cruzeiro pela primeira vez. Fato que o garoto Maurício impediu que acontecesse. Por causa do meio campista que já tem três gols e três assistências em 2020, que o time de Adilson Batista não saiu derrotado.

 

Aos 49 minutos, Welinton foi até a linha de fundo, cruzou para o atacante Vinícius Popó. Ele escorou de cabeça para a chegada de Maurício, que empurrou a bola para o fundo do gol do time grená: 1 a 1.

 

O jogo acabou e todo o time do CAP foi ao árbitro Paulo Cesar Zanovelli da Silva, o tempo de acréscimo dado no segundo tempo. Por causa desta reclamação, Pacato foi expulso, mesmo com o jogo paralisado.

 

O técnico Thiago Oliveira também lamentou a perda de “dois pontos” que já estavam praticamente garantidos no jogo.

 

O resultado impediu também que a equipe do técnico Adilson Batista de conquistasse três pontos e, assim, assumisse a liderança do Estadual aproveitando-se também do tropeço do maior rival, Atlético, que perdeu no Mineirão por 2 a 1 para a Caldense. O empate faz com que o Cruzeiro perdesse duas posições na tabela de classificação, ficando em quinto lugar, atrás de Caldense, Tombense, Atlético e América. A próxima partida do elenco cruzeirense está marcada para esta quinta-feira (20), contra o Tombense, em jogo adiado da segunda rodada do Mineiro por causa das fortes chuvas em Minas Gerais.

 

PATROCINENSE 1 X 1 CRUZEIRO

Motivo: 6ª rodada do Campeonato Mineiro

Local: Pedro Alves do Nascimento, em Patrocínio

Arbitragem: Paulo Cezar Zanovelli da Silva, auxiliado por Magno Arantes Lira e Leonardo Henrique Pereira

Cartões amarelos: Alemão, Thiago Passos e David (Patrocinense); Léo, Welinton e Adriano (Cruzeiro)

Cartão vermelho: Júlio Pacato (Patrocinense)

Gols: Paulo Renê (Patrocinense) aos 46 minutos do primeiro tempo e Maurício (Cruzeiro) aos 49 minutos do segundo tempo

 

PATROCINENSE. Thiago Passos, Marcelo, Felipe Gregory, Alisson e Pedro Rosa; Léo Costa, Rodney, Alemão (David) e Diego Luis (Jayme); Giba e Paulo Renê (Júlio Pacato). Técnico: Thiago Oliveira

 

CRUZEIRO. Fábio; Valdir, Cacá, Leo e João Lucas; Jadsom (Popó), Pedro Bicalho, Maurício e Everton Felipe; Alexandre Jesus (Marco Antônio) e Roberson (Welinton). Técnico: Adilson Batista

 


camara 686x113px 10012020